Maíse Couto convida para a abertura de sua exposição “Como Arrumar Flores Num Jarro II”

Convite exposição “Como Arrumar Flores Num Jarro II”. Divulgação.

A mostra “COMO ARRUMAR FLORES NUM JARRO II” conta com 06 obras inéditas da artista plástica Maíse Couto, em exposição de 24/10/2017 a 25/11/2017, na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, localizada na Praça da Liberdade, 21, bairro dos Funcionários, Belo Horizonte, MG.

A série de obras reunidas para sua segunda mostra individual, é resultado de uma pesquisa ocorrida nos anos de 2016/2017, fruto da imersão da artista em suas questões pessoais e do enfrentamento da rotina solitária e silenciosa do ateliê.

BELO HORIZONTE: http://www.obrasdarte.com/maise-couto-convida-para-a-abertura-de-sua-exposicao-como-arrumar-flores-num-jarro-ii/

Anúncios

Conservatório de MPB tem apresentações gratuitas nesta semana

Projeto Pixinguinha. Foto: Cido Marques.

O Conservatório de MPB de Curitiba realiza nesta semana três atrações gratuitas. O chorinho está presente em duas delas. Na quinta-feira, a tradicional Roda de Choro recebe o cavaquinhista Lucas Miranda e no sábado, composições de Pixinguinha serão apresentadas pela Orquestra À Base de Sopro, dentro do Projeto Pixinguinha na Praça. Já no domingo, música autoral do cantor e violonista Reinaldo Godinho serão executadas no lançamento de seu novo álbum.

CURITIBA: http://www.obrasdarte.com/conservatorio-de-mpb-tem-apresentacoes-gratuitas-nesta-semana/

Caixa Cultural Rio de Janeiro reúne mais de 150 obras de importantes acervos brasileiros em exposição

Ex-voto, Marcel Gautherot. Foto: Acervo IPHAN.

A CAIXA Cultural do Rio de Janeiro recebe, de 25 de outubro e 22 de dezembro de 2017, a exposição A Construção do Patrimônio, que apresenta mais de 150 obras entre documentos raros, quadros e esculturas, montando um panorama de importantes momentos da história das políticas públicas de preservação do Brasil, além dos desafios que envolvem a expansão do conceito de patrimônio. O projeto tem curadoria de Luiz Fernando de Almeida, ex-presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), e patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

RIO DE JANEIRO: http://www.obrasdarte.com/caixa-cultural-rio-de-janeiro-reune-mais-de-150-obras-de-importantes-acervos-brasileiros-em-exposicao/

Primeiros Traços da Arte Moderna – Impressionismo por Rosângela Vig

Fig. 2 – Mulher com guarda-sol, Madame Monet e seu filho, Claude Monet, 1875. National Gallery of Art, Washington. Coleção de Mr. and Mrs. Paul Mellon.

A sensibilidade de que nos fala Baudelaire diz respeito ao entusiasmo, próprio do coração do artista, em seu transcender de emoções. É como se a natureza fizesse questão de ostentar suas cores e suas formas, induzindo o artífice à sedução. Arrebatado, ele se empolga e se perde diante de tudo o que vê, feito uma criança extasiada a descobrir o mundo. A imagem que se apresenta atravessa o sutil campo do imaginário e se torna real por suas mãos, em sua poética maneira de demonstrar o que vê. É por essas linhas que a Arte fala e que, pelos tempos, tem se demonstrado fecunda.

CONFIRA O ARTIGO NA ÍNTEGRA: http://www.obrasdarte.com/primeiros-tracos-da-arte-moderna-impressionismo-por-rosangela-vig/

“Te empresto meus olhos” – mostra produzida por deficientes visuais da Oficina de Fotografia de Juliana Stein – integra Bienal de Arte de Curitiba

Wagner Bitencourt na Exposição “Te empresto meus olhos”. Divulgação.

No lugar da retina, a emoção dos sentidos; no enquadramento do foco, a percepção do ponto ideal. O resultado dessa especial forma de captar a imagem está na exposição “Te empresto meus olhos”, que inaugura no próximo sábado, dia 21, e fica em cartaz até 30 de dezembro no saguão da Biblioteca Pública do Paraná.

A experiência da imagem, seus modos de aparição e produção são o fio condutor do trabalho desenvolvido pela fotógrafa Juliana Stein, que realiza Oficinas de Fotografia para pessoas com deficiência visual desde 2015.

CURITIBA: http://www.obrasdarte.com/te-empresto-meus-olhos-mostra-produzida-por-deficientes-visuais-da-oficina-de-fotografia-de-juliana-stein-integra-bienal-de-arte-de-curitiba/

6º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas

Ana Maria Tavares, Opium Desviante Double, Dia R, Projeto Arte e Indústria. Foto: Isaías Martins.

Quem acompanha o ambiente das artes visuais no Brasil sabe: ser premiado pelo Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas é um presente para qualquer artista. Além de valores em dinheiro, os vencedores veem suas obras circularem por todas as regiões do País, recebem acompanhamento de crítico ou curador durante um ano e, de quebra, inserem o nome na seleta lista dos ganhadores de uma das mais relevantes e prestigiadas premiações da arte brasileira. A partir de agora, o público de Brasília vai poder conhecer os eleitos da sexta edição do Prêmio. Uma exposição com os trabalhos dos artistas vencedores fica no Espaço Cultural Marcantonio Vilaça do Tribunal de Contas da União (TCU) de 24 de outubro a 22 de dezembro.

CONFIRA: http://www.obrasdarte.com/6o-premio-cni-sesi-senai-marcantonio-vilaca-para-as-artes-plasticas/

Exposição Coletiva O Choro das Inocentes por Rosângela Vig

Exposição Coletiva O Choro das Inocentes, convite. Divulgação.

Pelas mãos de 27 artistas, a exposição O Choro das Inocentes trata do problema da violência contra as mulheres. A mostra será aberta dia 19 de outubro de 2017, às 18h e 30 min com um coquetel, no Espaço Uruguay, local da exposição. As obras estão ligadas ao tema e poderão ser vistas de segunda a sexta-feira, das 14 às 18 horas, até dia 16 de novembro de 2017. Parte do valor arrecadado com a venda das obras, será doado para a Instituição União das Mulheres de São Paulo.

SÃO PAULO: http://www.obrasdarte.com/exposicao-coletiva-o-choro-das-inocentes-por-rosangela-vig/

Manifesto As Embalagens, do encenador polonês Tadeusz Kantor, inspira grupo de dança em Solos de Rua, no centro de São Paulo

Foto do espetáculo – Ao completar uma década, o …AVOA! Núcleo Artístico faz ação cênica na confluência das ruas XV de Novembro e Rua do Tesouro. Foto: Silvia Machado.

“Solos de Rua” é uma ação artística e urbana do …AVOA! Núcleo Artístico, dirigida por Luciana Bortoletto. A montagem não está nos palcos italianos, em teatros, em salas de espetáculos. Está nas ruas do centro de São Paulo. Mais precisamente na confluência das ruas XV de Novembro e Rua do Tesouro. O público que passa – e os muitos que param – assistem a uma intervenção cênica, urbana, artística e… Inquietadora. É característica do grupo, que completou dez anos de estrada em 2016, estar nas ruas, dançar nas ruas, se misturar às pessoas e coisas da rua. Aos que passam e aos que assistem, fica a incerteza e a dúvida do que estão presenciando.

SÃO PAULO: http://www.obrasdarte.com/manifesto-as-embalagens-do-encenador-polones-tadeusz-kantor-inspira-grupo-de-danca-em-solos-de-rua-no-centro-de-sao-paulo/

Alex Flemming inaugura exposição em São Paulo

Arte de Alex Flemming. Foto: Henrique Luz.

O artista plástico Alex Flemming, que ficou nacionalmente conhecido após a instalação de rostos anônimos em painéis de vidro sobrepostos por poemas brasileiros na Estação Sumaré do Metrô de São Paulo, inaugura dia 28 de outubro a intervenção com a série “Anaconda” na casa-museu Ema Klabin. A mostra, inédita no Brasil, compõe-se da apropriação artística de treze tapetes persas, de variados tamanhos, incluindo pequenos tapetes de oração, sobre os quais Flemming introduz a pintura de uma cobra.

SÃO PAULO: http://www.obrasdarte.com/alex-flemming-inaugura-exposicao-em-sao-paulo/